terça-feira, 15 de agosto de 2017

Alginato de Sódio em Medicação Anti-Refluxo!

Olá pessoal,

Descobri  recentemente ,  uma tradicional  aplicação da  indústria farmacêutica sobre o uso de Alginato de Sódio em medicações anti-refluxo.

É conhecida por  todos nós a famosa  sensação de queimação no estômago e sobretudo o refluxo,   acidez que,  de alguma forma,  retorna a região da boca pelo tubo digestivo, causando desconforto, inflamação e dor.

Uma solução feita através de Alginato de Sódio, Carbonato de Cálcio e Bicarbonato de Sódio é oferecida por um grande laboratório, para suavizar ou mesmo  solucionar este problema de saúde.

Alginato de Sódio e Carbonato de Cálcio + água formam  um gel (caixa de ovo/eggbox  já mencionada neste blog), que migrará para a superfície da parede estomacal, inibindo o retorno  de ácido.

Já o Bicarbonato de Sódio atua  como um neutralizador de acidez, devido ao seu pH básico  em torno de 8,6,   onde age como anti-ácido  na região afetada,   aliviando os sintomas de azia e má digestão.





Figura 1: Camada azul  é a reação/gelificação entre Alginato de Sódio e Carbonato de Cálcio, agindo  em forma de barreira protetora. Já a camada branca é representada pelo Bicarbonato de Sódio, que gruda na parede superior e inferior da camada que foi formada.




Vídeo 1: Animação sobre a reação benéfica da solução Alginato de Sódio, Carbonato de Cálcio e Bicarbonato de Sódio.

Um abraço,
Daniel

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

TIC Gums lança Goma Guar sem sabor residual/ nota vegetal!

Olá leitores,

Faz alguns anos , eu participei de uma acalorada discussão  técnica sobre refresco em pó e uma colega da empresa na época, levantou a bola:
  
Por que as empresas, para reduzir custos,  não usam Goma Guar em refresco em pó no lugar de CMC e Goma Xantana?

E eu cortei a bola rapidinho:

Não utilizam porque deixa sabor residual,  originado pela  conhecida  nota vegetal da Guar.

Como as convicções  são quase sempre frágeis , pouco tempo depois a Kraft lançou o Tang Pró  com Goma Guar.




A grande novidade daquele novo Tang Pró  era a formação de espuma, através da introdução do Extrato Natural de Quilaia.

Goma Guar tem em sua estrutura molecular uma fração proteica , algo em torno de 5%,  e as proteínas invariavelmente contribuem para a formação de espumas, haja vista  a importância desta macromolécula na produção de  cervejas.

Esta característica sinérgica, Quilaia + Guar = espuma, deve ter sido decisiva  para a escolha da Guar. 
Talvez  tenha  sido levado em conta a redução de custos, até  porque  uma correta e dirigida   aromatização eliminaria muito o indesejado sabor  residual, entretanto ,   isso é apenas uma suposição minha.

O que ninguém poderia imaginar  é  que pouco tempo depois,  a Guar  sofreria um brutal e sem precedentes aumento de preços, contudo,  esta é uma outra história e que já foi contada aqui:





Após  fazer esse preâmbulo, comento que esta semana recebi um boletim técnico da empresa TIC Gums, falando sobre o lançamento de uma Goma Guar livre de notas vegetais:


TIC Gums é uma empresa altamente inovadora e analisou  a  Goma Guar padrão sob cromatografia gasosa.


Dai ela detectou que alguns componentes orgânicos voláteis, entre eles Ácido Hexanóico e Hexanal, eram os responsáveis por conferir o indesejável sabor residual percebido por degustadores em formulações mais sensíveis, como por exemplo o refresco em pó 😊.

Resultado: Houve redução de 90% destes compostos voláteis e, como consequência disso , os provadores não puderam mais sentir  as notas vegetais em produtos formulados com esta inovação.

E como eles removeram química e fisicamente estes compostos? Ah, isso eles não contaram.

TIC Gums strikes again!


Um abraço,
Daniel

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Artigo sobre Goma Agar !

Olá leitores,

Hoje posto bom artigo publicado pela revista FIB (Food Ingredients Brasil), número: 41. 


Ele percorre o caminho das diversas aplicações em alimentos, passa pelas dietas de redução de peso (efeito saciedade que um gel de Agar oferece) e a conhecida utilização como meio de cultura para bactérias em laboratórios, quando se busca contagem microbiológica.



Tem uma miscelânea de diversas outras possíveis aplicações e uma interessante lenda,  sobre a descoberta do Agar no Japão no século 17.

Boa leitura!!